Mensagem de Marta – 01 de Julho de 2020

Todos os dias bilhões de súplicas sobem da Terra para o Céu. Provém elas de cultos e incultos, ateus e espiritualistas, pobres e ricos, jovens e velhos.
Se desprenderam de mentes férteis ou sáfaras, corações amorosos ou ressequidos, buscando todos alcançar o colo de Deus.
Foram articuladas no silêncio de capelas e mosteiros, nos campos ou nas cidades apinhadas de gente, a sós ou em multidões. Cada um a fez no seu diapasão mental e moral, emocional e evolutivo, e buscou atendimento para este ou aquele interesse que somente o orante poderá definir.
Toda rogativa tem endereço certo e resposta compatível no tempo de Deus. Muitas delas sobem articuladas no desespero e na aflição, no medo e na exigência descabida, como se a divindade fosse mero call-center de filhos perdulários e inconscientes do próprio dever de evoluir. Outras, são tecidas no recolhimento e na humildade, no reconhecimento de que o pedido é importante, mas nem sempre bom, útil ou necessário naquele instante evolutivo.
A prece, a oração, a rogativa traduz sempre a certeza de que os filhos da infinita criação reconhecem a existência e o governo de uma mente diretora central. Reflete que sabemos, mesmo inconscientemente, que leis justas e sábias presidem todos os movimentos de evolução e progresso na ordem universal. E que nada se dá em desacordo com a vontade divina, pois o desequilíbrio perpetrado é aproveitado pelas excelsas diretrizes como impulso de renovação e aperfeiçoamento, fazendo surgir do caos uma nova ordem, renovando a paisagem moral e intelectual de todos os seres senscientes.
Sabedor desta realidade profunda que ainda estamos tateando Jesus, com muita frequência, buscava o isolamento social para orar a sós… com Deus.
Naqueles minutos ou horas Ele mergulhava no reservatório universal, abastecendo-se de forças para continuar a tarefa hercúlea que O trouxe ao campo físico, a rentear com as criaturas humanas, invariavelmente mergulhadas nas sombras espessas da amargura, da dor e da agressividade, com que julgavam tudo resolver.
Mantendo incessante contato com a divindade, era por ela abastecido com recursos de natureza superior, fortalecendo-se para os embates diariamente travados na ribalta da convivência difícil.
Homens em trevas morais.
Mulheres derrotadas pelo pessimismo.
Velhos vassalados pela amargura.
Jovens e moços assaltados pela ilusão.
Dirigentes e imperadores devorados pela empáfia dos transitórios fastígios terrestres.
E Ele forte como a labareda de fogo. Manso como as pombas do campo. Silencioso como as estrelas da madrugada. Cristalino como o orvalho da manhã na corola de uma flor.
No mundo, servindo.
Com todos, mas a sós.
Semeando flores em meio à espinhos.
Apontando o futuro para tantos mortos-vivos, reféns do passado.
Proclamando a esperança nos corações avinagrados pela incerteza e pela submissão.
Se te vejas em lutas contínuas. Se te saibas sitiado por inimigos difíceis. Se te sintas sem chão em algum momento da vida. Se trazes o coração flexado pelo arpão da dor intensa, não te entregues ao desalento nem oferte cadeira ao pessimismo.
Dificuldades são vencidas. Dores são superadas. Adversários somem da estrada ou se convertem em amigos. Ilusões se dissipam e a força da verdade se impõe.
Ora e aguarda. Trabalha e confia. Ama e prossegue incansável.
Amigos da vida mais alta te acompanham. Jesus te conhece por dentro. Deus é a divina estabilidade em meio aos caos.
Faz tua parte. Deus já fez a dele. Assim, vencerás.

Marta – Psicografia do médium Marcel Mariano
Salvador, 01.07.2020