Mensagem de Marta – 25 de Junho de 2020

Em muitas existências, a sensação de inutilidade e perda de tempo só ocorre no crepúsculo da vida física.
Visitado pela velhice, corpo alquebrado pelos achaques e enfermidades degenerativas, o Espírito sente um vazio existencial agigantar-se no íntimo, como implacável cobrador das horas e das oportunidades perdidas. E em retrospectiva na tela evanescente da memória o indivíduo dar-se conta de que o livro da própria existência se lhe afigura possuidor de muitas lacunas, rascunhos e folhas em branco.
Atroz saudade dos dias infantis toma de assalto os olhos cansados.
Melancolia intensa da adolescência parece invadir os escaninhos da alma.
Sede abrasadora do afeto de amigos, parentes e dos genitores turva a visão e dispara o coração.
Cenas de equívocos cometidos e não vistos por terceiros retornam com suas cores escuras, borrando os céus pardacentos do crepúsculo existencial.
Sentimos imenso vazio por dentro, medo da vida e pânico da morte próxima.
Por mais que se tente fugir das amargas lembranças, elas retornam iniludíveis, como a nos perguntar porque procedemos daquele jeito e não de uma outra maneira.
Silêncio inquietante nos constrange a garganta e da comporta dos olhos a lágrima salgada despenca, desertificando mais ainda a nossa alma.
Retroceder, impossível.
Refazer caminhos, impraticável.
Reencontrar atingidos por nossa insanidade e imaturidade, improvável.
Que fazer, meu Deus?
Atrás de nossas memórias uma vida nem sempre bem vivida. À nossa frente, um futuro incerto, para o qual nem sempre ofertamos a atenção devida.
Amigo da senda terrestre, infância, adolescência e mocidade são quadras da vida orgânica que o tempo nos oferta como preciosas oportunidades de crescimento e depuração.
Memórias são fotografias que a lente dos anos bateu, arquivando-as em nossa imaginação.
Tua imortalidade é teu passaporte para o amanhã sem fim, onde o não concluído agora será terminado, te apontando retorno aos palcos terrestres para novos atos da vivência e da convivência. Serás ator ou atriz novamente, vestindo-te de carne mais uma vez, saindo da coxia de teus fracassos para a ribalta de nova atuação junto aos mesmos colegas de cena, buscando interpretar teu melhor papel no script rascunhado por Deus.
Dele não partirá qualquer condenação aos teus equívocos. Nenhum elogio aos teus acertos.
Nenhum céu estanque ou um inferno eterno.
De Deus não virá perdão, por ser a inteligência suprema que nunca se ofende.
De Suas divinas leis virá o fruto de tua livre sementeira, em colheita compulsória.
Novo recomeço para acerto.
Se te sentes um aluno cansado e velho, aguarda confiante novo uniforme corporal e renovada matrícula no educandário da vida infinita, a se desdobrar nas fainas da educação espiritual, instrumento pelo qual o Pai corrige seus filhos desidiosos e negligentes nas trilhas da evolução.
Adotando Jesus como modelo e guia, tua velhice será epílogo de aula perdida, prenunciando breve intervalo para conferência das provas malbaratadas, a sinalizar retorno a novo ano escolar, em incessante marcha para nossa plenitude.

Marta – Psicografia do médium Marcel Mariano
Salvador, 22.06.2020