O Homem que vive da Política

“A virtude deve nortear sempre a vida do homem, com respeito às Leis Naturais, que são as Leis de Deus”.

Atitudes justas devem ser aplicadas a todo tempo, e não somente em ocasiões oportunas para satisfazer desejos obscuros e interesse de foro próprio. A realização de atos público em momentos inadequados passível de aproveitamento e vantagens, no mínimo é imoral. Não disse Jesus: Largo é o caminho da perdição e estreito o caminho da salvação. Seguir o caminho estreito requer do homem renúncia e abnegação.

O homem que escolhe trilhar as veredas escusas da política em favor de si próprio, merece toda força contrária do povo – o não voto favorável. Não aprendeu nada este homem! Deus na Sua bondade sempre sentirá piedade dele, os homens também deve sentir o mesmo. Deus dar-nos a consciência e o livre arbítrio para que sejamos responsáveis e responsabilizados por nossas ações e escolhas. Jesus acolheu o malfeitor e o político corrupto, mas não transigiu com seus erros.

Assessores, deputados, vereadores, juízes, secretários, etc, o político que tem a audácia pretensiosa de acumular todos os cargos para si, este homem tem alguma diferença de um tirano? Dar-lhe Deus a capacidade de governar com bom senso e justiça. É nesse sentido que a Democracia tão desgastada nos tempos atuais, aparece para nos dar uma visão de oportunidades para todos de forma justa. Mesmo para Aristóteles não sendo o sistema ideal de Governo, contudo, era o seu preferido. O que nos sugeriria Aristóteles hoje?

O povo outorga poder a esse homem, não obstante, esse povo deve ter força moral para fazer-lhe engolfar nas próprias riquezas e poder conquistado às espensas dos outros. Como assim? Ah, a força deve vir de atos de liberdade através do sufrágio popular. Vemos por aí, políticos que perderam a voz e o que é mais preciosa à vida – a liberdade. Triste viver sem vontade própria, esperar que o outro decida por você, fale por você. Infelizmente a corrupção e os desmandos imperam na compra de políticos, cuja a liberdade é vendida. O que diria Jesus? Talvez Jesus dissesse: “Não ficará pedra sobre pedra que não seja derribada”. Nos chamando para a responsabilidade dos nossos atos.

Quando esse homem perde a liberdade, perde-se também a “alma”! Que vida alegre e feliz, terá uma o homem que se perdeu na vida pelos caminhos mais sombrios da política? Não poderia ele usá-la para auxiliar a todos? Este homem também não seria ingrato, por ter conseguido tudo graças ao lealdade do povo em conceder-lhe o voto? Lembremos da parábola do talentos de Jesus se Nazaré. A cada um segundo o que lhe foi dado.

Perdido é o homem que vive na ilusão de ser um conquistador, quando em verdade, e em verdade, digo-vos que só conquistamos aquilo que levamos para qualquer lugar – eis aí a liberdade do homem. Ignorante é o homem que enxerga somente este mundo como o único passível de viver. Jesus não disse que na casa do meu Pai há muitas moradas? Por que não credes na palavra do maior sábio que já existiu?

O homem político profissional, saberá um dia que a sua ação não passou de ilusão, saberá também que suas conquistas não passaram de ganhos injustos, tirando o que era do povo e para o povo, e usando em seu proveito pessoal – está aí o mais triste dos homens, embriagado pelo veneno da arrogância, do orgulho e do egoísmo, tende a cair no fracasso moral.

Que rastro deixou este homem para a humanidade? Não será ele o responsável pela fome, pela miséria, pela imoralidade, pela falta de educação porque passa seu povo? Há quem chama essas vitórias de alegria, eu porém não a chamo, prefiro chamar de alegria de momentos passageiros.

Na verdade meus caros leitores, a vida feliz é pautada na justiça, na moral e no amor Universal. Em tal situação que se encontra o pobre homem que descrevi, pisa no lodo do abismo do poço fétido. Será que homem igual a este não se sentiria envergonhado? Por Deus! Tira de nós ó Senhor, toda pretensão de sermos homem assim.

Aristóteles, um dos grandes sábios da Grécia Antiga, nos diz que devemos andar por caminhos por onde os grandes homens andaram. Triste é, seguir outro caminho, que não seja o da prudência e sabedoria. Aquele que decidiu enveredar pelos caminhos da política, deve agir com lealdade a seu povo e aplicar a justiça para com todos, mesmo para seus inimigos, pois devemos ser justos não só para com os amigos, mas também para com os injustos, este é um outro ensinamento do maior sábio da Grécia Antiga – Sócrates.

Não já nos disse o maior de todos os sábios que o mundo conheceu, Jesus de Nazaré, “dai a Cézar o que de Cézar” nos passando a lição da justiça, e de que devemos dar a cada qual o que lhe toca, jamais nos apropriar daquilo que não nos pertence? E o último ensinamento de hoje, vem novamente de Jesus, o Cristo de Deus, “Amai-vos os nossos inimigos”, eis aí o grande desafio de toda a humanidade, e é Jesus que nos faz o celebre convite:

“Vende tudo que tem e segue-me”. Penso que se seguíssemos Jesus já seria um grande começo.


Ailton Caetano